A North Star Metric é a métrica que melhor captura o principal valor entregue aos seus clientes, portanto, é uma métrica que coloca o usuário no centro.

Identificá-lo também ajuda a entender melhor os seus clientes e produtos.

Sean Ellis

Exemplos reconhecidos na literatura de produto:

Airbnb: Números de noites reservadas

WhastApp: Mensagens enviadas por usuários

Slack: Daily Active Users

A principal vantagem de ter uma North Star Metric é a garantia de foco do time. Todos irão atuar focados num único objetivo e métrica, além de manter claro e transparente para todos os times a direção da estratégia corporativa.

É uma maneira de simplificar a comunicação e tornar a estratégia mais próxima de todo o time.

North Star Metric (NSM) e One Metric That Matters (OMTM)

A North Star Metric é uma métrica de longo prazo para toda a empresa enquanto a One Metric That Matters está associada a um grupo menor por um período mais curto de tempo.

O NSM é, portanto, a métrica guarda-chuva de todas as áreas da empresa, enquanto o OMTM é escolhido por cada time e tem como função contribuir para atingir e melhorar o NSM.

Vale ressaltar que a NSM pode mudar conforme a empresa cresce e o mercado muda. Não é algo estático apesar de longo prazo.

A consultoria Amplitude defende que a NSM deve ser baseada na escolha entre 3 variáveis: atenção, transação ou produtividade. Com base na pesquisa conduzida pela consultoria em mais de 11.000 empresas, observaram que todos os produtos digitais estão jogando um dos três jogos possíveis:

  • O jogo da Atenção: captura do tempo do usuário
  • O Jogo de Transações: Quantas transações comerciais o seu cliente faz na sua plataforma
  • O Jogo da Produtividade: Quantas tarefas digitais de alto valor o seu cliente pode executar no seu produto

A NSM deve refletir o jogo onde a empresa está inserido. Por exemplo, a Netflix assim como o Facebook buscam a atenção do usuário, enquanto a Amazon foca no transacional e o Salesforce em produtividade.

Antes de seguir para o próximo tópico, pense em que jogo a sua empresa está inserida?

Check-list para estabelecer a North Star Metric

Ward Van Garteren estabeleceu um check-list com 8 perguntas para ajudar na definição de uma NSM:

  1. Quando é que os seus clientes chegam aos resultados finais?
    A NSM está vinculada com o momento que o usuário obtém o valor, a entrega, o resultado ao utilizar o produto.
  2. Isso aplica-se a todos os clientes?
    A NSM está vinculada a todas as métricas do funil Pirata independente se estamos falando de retenção ou aquisição.
  3. Conseguimos mensurar esse momento?
    Como o óbvio precisa ser dito, sua NSM deve ser mensurável. Portanto, escolha métricas centradas no usuário mas que sejam passíveis de serem medidas e acompanhadas. Por exemplo, o número de vezes que uma ação é realizada.
  4. Qual a melhor frequência? (Dia, Semana, Mês)
    É importante estabelecer o tempo para conseguir fazer comparações e assim acompanhar a evolução ao longo do tempo.
  5. Algum fator externo tem mínimo impacto?
    A NSM deve ser uma métrica que você tenha controle e que reflita a conexão entre o produto e os seus clientes.
  6. A métrica NSM está vinculada ao crescimento do negócio?
    Fuja das métricas de vaidade. A NSM deve representar o crescimento da empresa. Se a NSM crescer e a empresa perder clientes ou o volume de vendas caiu tem algo errado na escolha da NSM.
  7. O funil pirata tem impacto na NSM?
    A evolução da NSM deve ter um efeito sobre os componentes individuais do funil pirata. No final está tudo interligado.
  8. A métrica NSM cresce/muda com frequência?
    A métrica NSM deve evoluir, crescer e não pode depender de uma ação de pouca frequência do usuário. Idealmente, o seu NSM cresce com frequência (dia, semana, mês) por isso deve ser uma ação que cada cliente deve realizar várias vezes num período determinado.

Usar esse modelo de NSM pode impulsionar a estratégia de produto e orientar a organização para se tornar uma empresa liderada por produtos centrados no usuário.