Semana passada participando de uma live algumas pessoas me pediram dicas de leitura para quem está começando como PO ou que está visualizando uma transição de carreira. Após pensar alguns instantes citei 2 livros clássicos: The Product Book, Product Schoole o “Não me faça pensar, Steve Krug”.

Mas após a live fiquei pensando como foi difícil minha transição de carreira, principalmente, pois na época o tema de Gestão de Produto ainda não estava organizado e era pouco difundido no Brasil. Não que atualmente esteja consolidado…. nada disso!!! Mas hoje já existem instituições como o Tera e a PM3 que ajudam esses profissionais.

Resolvi através desse post organizar um caminho de estudo para iniciantes em Gestão de Produto.

👉 5 principais livros como leitura obrigatório em Gestão de Produtos.

👉 Indicações de blogs para atualização constante.

👉Como bônus, um lista de cursos e treinamentos na área.

1. The Product Book, Product School

Esse é o início da sua jornada. Sugiro começar com este livro que vai explicar desde do papel do Product Manager (PM) até o processo de trabalho.

Publicado pela Product School, este material nos ajuda a entender a atuação do PM através do Triângulo do Produto. É uma forma simples e eficaz de identificar o papel do PM e a responder algumas dúvidas sobre o quanto esse profissional deve entender tecnicamente sobre codificação, Design, Marketing e Business.

Triângulo do produto: o PM está entre 3 domínios principais.
Fonte: The Product Book

Os capítulos do livro são distribuídos de acordo com o processo de trabalho de um PM e estão organizados através de uma ordem lógica que ajuda a estruturar o pensamento e a entender nosso ciclo de trabalho.

Para cada fase do ciclo de produto um lado desse triângulo irá pesar mais. É nesse contexto que o livro vai evoluindo.

O livro está disponível em PDF na web gratuitamente. Clique aqui para obter sua versão em português.

2. Não me faça pensar, Steve Krug

Este é um livro clássico de usabilidade. É uma leitura leve, direta, com vários exemplos e fácil de ler.

O autor defende que usabilidade tem relação com prestar melhores serviços através da entrega de produtos focados em resolver problemas para os usuários. Portanto:

  • Elimine perguntas: não gere dúvidas que possam confundir o usuário.
  • Vá direto ao ponto. Lembre-se que as pessoas tem pressa!
  • O uso de convenções da web facilitam a navegação e o entendimento por parte dos usuários.
  • Estabeleça uma hierarquia visual a fim de organizar e priorizar o conteúdo de forma que ajude o usuário a entender instantaneamente.
  • Elimine o conteúdo desnecessário. Não faço rodeios. 
  • Torne visível aquilo que as pessoas mais buscam no seu site.

Boa parte dos profissionais dos time de produto, no Brasil, encontram resistências para implementar uma rotina de testes. Steve Krug propõe testes de guerrilha do tipo “faça-você-mesmo”. No livro, dedica 1 capítulo para te auxiliar a organizar esses testes e na criação do roteiros de perguntas e tarefas.

Em outro post, já resumi este livro por capítulo. Veja aqui.

Para te mostrar como é possível realizar testes de usabilidade sem sofisticação compartilho minha experiência de como incluí na rotina de uma sprint essa prática. Veja aqui.

3. Inspirado, Martin Cagan

Nesta obra, já publicada em português, Cagan passa por vários temas importantes relacionados a criação de produtos:

  • definição de papéis para equipes de produtos
  • processo de criação de produto – discovery, delimitação, planejamento, ideação, prototipagem, entre outros.
  • traz uma visão mais estratégica para produto abordando a técnica de OKR
  • Visão de roadmap e alternativas
  • como gerenciar stakeholders

Entendo que esse livro é um complemento do livro The Product Book que foi pensado e escrito por um autor com muito experiência de mercado. Martin Cagan passou por empresas como HP, eBay, Netscape, entre outros.

Um grande aprendizado que tirei desse livro é que os desenvolvedores devem participar do processo de descoberta e análise do produtos. Usá-los apenas para desenvolver, entrega pouco valor. De fato, os desenvolvedores são uma das fontes para pensar inovação. Algo que Steve Krug também defende na leitura anterior quando cita que os desenvolvedores devem assistir os testes com usuários.

4. Gestão de produtos de software: Como aumentar as chances de sucesso do seu software, Joaquim Torres

Brasileiro, com passagem em empresas como Locaweb, Conta Azul, Gympass, entre outras, indico essa leitura de Joaquim Torres com uma visão local do processo de produtos. Não é que existam diferenças na forma de trabalho ou ferramentas específicas para o Brasil. Mas Torres consegue entender nosso contexto e diferenças culturais. E o melhor com exemplos nacionais!

Sim, é possível e não é utópico desenvolver a cultura ágil e processos focados em gestão de produtos.

Inicialmente o livro aborda aspectos mais teóricos referente ao papel de um gestor de produto, além de dá dicas de liderança na área.

Aprofunda-se nas estratégias de cada etapa do ciclo de vida do produto e detalha o conceito de inovação e como de fato descobrir oportunidades. Será que toda descoberta deve ser encarada como uma oportunidade? O autor ajuda a identificar aquilo que devemos perseguir e obter retorno.

Um dos principais papéis de um PO, PM ou gestor de produto é se relacionar com diferentes pessoas de diversas áreas. A parte III do livro é dedicada a esse tópico orientando os profissionais de produtos a gerenciar expectativas.

É um livro bem didático, com exemplos e fácil de ler!! O autor também tem um blog que é leitura obrigatória.

5. HOOKED, Como construir produtos e serviços formadores de hábitos- Nir Eyal

Nir Eyal propõe um modelo para pensar e construir produtos formadores de hábitos a partir do Modelo do Gancho: um processo de quatro fases que ajuda as empresas a formar hábitos.

O autor defende que as empresas que formam hábitos fortes obtém benefícios econômicos e, portanto, no lugar de investir em planos de marketing caros, as empresas deveriam associar seus serviços às rotinas e emoções diárias dos usuários. Trata-se de se manter relevante no dia-a-dia do usuário.

Os quatros passos para o modelo do Gancho são: Gatilho, Ação, Recompensa Variável e Investimento.

  • Gatilho: se refere a algo que nos leva a agir. É o acionador do comportamento. Podem ser instruções explícitas como um call to action ou algo implícito com uso de convenções que os usuários reconheçam.
  • Ação: depois do gatilho vem a ação. É nesse momento que as questões de usabilidade ganham relevância. Para dar início a algo é necessário que não exija grandes esforços e que seja fácil! Além do gatilho, é necessário que o usuário tenha habilidade e motivação suficientes para a ação.
  • Recompensa variável: são conquistas que reforçam o estímulo em continuar utilizando o produto / serviço. É uma forma de “fisgar os usuários”, como descreve Nir Eyal. As recompensas estão vinculadas as necessidades dos usuários tais como: recompensa social, sentir-se realizado, no controle, entre outros.
  • Investimento: ocorre quando o usuário agrega algo ao produto. Por exemplo ao indicar amigos, selecionar favoritos, dá reviews, etc. O investimento não está relacionado a apenas a questão monetária mas também a tempo, dados e esforço.

O livro é estruturado a partir dessas quatro etapas e contém no final de cada capítulo um roteiro prático para te ajudar a implementar o Modelo de Gancho.

Você ainda pode obter materiais complementares disponíveis aqui.

Blogs

Abaixo listo blogs importantes com conteúdos atualizados para ficar por dentro das boas práticas de mercado e poder trocar com quem está liderando na área:

Tera

PM3

Product Coalition

Product School

Joca Torres

Produto IO

Mulheres de Produto

Google Insights – Tendências de consumo

Estratégia de leitura

Para me atualizar diariamente escolho um blog ou artigo no LinkedIn e me dedico por pelo menos 10 minutos. Faço isso todos os dias pela manhã ao abrir o computador.

As vezes ao longo do dia recebo outros conteúdos e salvo os links numa pasta do aplicativo Evernote. Esses links me comprometo a ler dentro do período dos 10 minutos dos dias seguintes.

Com relação a leitura de matérias mais extensos como livros, cases e artigos acadêmicos seguem algumas dicas:

  • Crie uma hierarquia de leitura definindo uma ordem de priorização dos conteúdos que deseja ler.
  • Escolha 1 livro por mês para leitura.
  • Divida a leitura de páginas por dia, mas seja realista!! Tente encaixar dentro da sua rotina. Tem dias que sabemos que são mais atarefados, temos mais reuniões, eventos, etc. O importante é tirar do papel!! Leia nem que sejam 3 páginas!!!
  • Defina um horário fixo para leitura.
  • Resuma os principais pontos de cada capítulo. Dica: sugiro fazer o resumo no Google Drive para que você possa recorrer a qualquer momento e buscar algum tema específico.

O local de leitura e ouvir música instrumental ou relaxante me ajudam também nesse processo.

Já dediquei aqui no blog um post referente a técnica Pomodoro. Veja aqui. A técnica me ajuda a organizar meus compromissos e tarefas no dia. Inclusive a leitura do livro mensal e dos blogs diariamente.

Lista de cursos para gestão de produtos

📌E agora pensando em quem está começando segue como bônus uma lista de cursos e treinamentos para ajudar na sua formação:

  • Digital Product Leadership – Tera: ao longo do curso você irá desenvolver um projeto aplicando a teoria e com a monitoria dos professores e profissionais de mercado. Recomendo para iniciantes e até para quem já atua na área.
  • Curso Product Manager – PM3: curso 100% online com aulas gravadas e bem flexível para você encaixar na sua agenda. É possível trocar ideias e tirar dúvidas nos grupos do slack. Materiais ricos, práticos e com cases aplicados.
  • Framework Scrum – Project Study com o Fábio Mourão: Indico esse treinamento para quem planeja tirar a certificação de SM ou PO.
  • Treinamento de Kanban ou Scrum – InfiniteWay: Indico esse treinamento para quem busca certificações. Além da monitoria, aplicam simulados.
  • Curso + Certificação Certified Scrum Product Owner® CSPO – K21: para quem quer um treinamento completo e já no final retirar a certificação indico o curso da K21. Além de aprender as boas práticas do ágil, você poderá realizar exercícios e trabalhos em grupos para validar o conhecimento. A troca com os profissionais do mercado é um diferencial.
  • Métricas de Produtos by Product Arena: como diria Lord Kelvin, “Se você não pode medir, você não pode melhorar“. Através da análise de dados é que você irá entender o tamanho do seu mercado, as oportunidades, o que melhorar, como melhorar e se o seu produto deu certo. Todo PO deve entender de métricas, KPIs e OKRs. Sugiro esse treinamento online e ao vivo de 4 dias para ajudar a entender as principais métricas de produto e uso de ferramentas como Google Analytics e Data Studio.

E você, tem alguma dica de leitura? Compartilhe nos comentários! 🙂